28 de nov de 2014

Conversas por cá

- Mãe, quero uma surpresa! (surpresa=doces!)

(Penso... Se dou nega temos birra! Que devo dizer? ...)
- Hum! Então e o que fizeste para merecer uma surpresa?

-Hummmm... (Vasco pensa e articula o dedo na bochecha com o seu ar de pensador maroto!)
- Porque sou lindo!!!


******


- Mãe, quero um mano!

(Fico em choque, apesar de não ser a primeira vez que toca no assunto... Aquele modo choque-totó-feliz!!!)
- Queres?! Então e uma mana?

- Também!!!! (Vasco em modo euforia!)

(Vasco pensa! Aguardo ansiosa pelo o que vai sair! Ele de queixo espetadito, dedo vai e vem na bochecha...)
-Hummm!! Mãe, também preciso de um gato!
:D

20 de nov de 2014

Dia do pijama!


 
À 2 dias atrás:
- Mãe, quero levar o Mikey!
- Não... No dia do pijama deixo-te levar o Mikey, o Sol...
- Mãe...e levo comida! Porque há meninos que não têm família! Eu tenho uma família... Somos pai, mãe e o Vasco!
...
Parei no tempo! O meu coração radiou com aquelas palavrinhas ditas com o ar mais serio que já o pude ver! Mesmo que tenha sido "sermão" ensinado na escolinha, babei de orgulho! E... procurava eu forma certa de lhe explicar o significado deste dia! 
E assim, lá foi ele feliz da vida com o seu pijama e com o seu contributo para uma instituição de acolhimento de crianças.

16 de nov de 2014

Em viagem

Longe vão as viagens em que o Vasco adormecia mal o carro andava! Agora...as viagens, mesmo que curtas, são prefeitos momentos de delírio!!! Quando reconhece os trajetos passa o tempo: "Para a direita! Para a esquerda!"... Consegue conversar eternidades, montar circos ou birras infernais, obriga-me a falar, a dançar e até escolhe as músicas... Para não falar das vezes sem conta que pede água, tira o cinto, ou que pede para fazer xixi!
Quando temos a companhia do pai ainda rimos das suas conversas tropeças ou bracejamos à vez tentando pôr fim às birras tamanhas!
 
Hoje, voltávamos dos avós, era tanta a euforia que selecionei uma música clássica para tentar acalmar os ânimos! Às vezes resulta! A música termina e...
 
"Mãeeee!!!! Põe mais música dos tachos!!"





Chloé va à l'école...

É tão bom quando me chegam trabalhinhos para clientes que acompanho desde a barriguinha da mãe! Pincelar este "crescer" transmite-me algo de bom...gosto do sentimento!

Estaria em pleno se não me apercebesse agora mesmo de um big erro! :(

Désolé Chloé peu! 



10 de nov de 2014

Este post está em banho-maria desde o mês passado!
Por aqueles dias mornos, que agradavelmente nos remeteram a um Verão confuso e fora de época, dei por mim a reflectir sobre varios assuntos. "Coisinhas" do meu dia a dia! À primeira impressão... sobre o Outono, fins de semana em família, sobre o meu amor pequenino e tão grande aqui dentro!

Enfim...
Cresci numa aldeia, perto de tudo e de todos, com aquela liberdade dos anos 80 e 90 que muitos recordam nostalgicamente! Jamais me imaginei a viver num apartamento! Aqui! A vida deslocou-me somente 9km e mostrou-me outras realidades. Nada que desconhecesse mas ainda assim... diferente.  Somos felizes onde estamos, ponto! Adoro esta terra que me oferece de tudo. Podia começar por falar de todos os serviços públicos, do comércio...tenho isto tudo e muito mais numa vila que percorro a pé! Tenho praças e jardins cuidados, parque infantil, um rio cheio de patos simpáticos... E um Mosteiro maravilhoso que me faz voltar no tempo. Talvez até aos meus 7, 8 anos... Consigo sentir o cheiro dos arbustos que guarda dentro, assim como o fresquinho que me deliciava nas tardes quentes. Corri e brinquei vila fora! Uma vila que não me pertencia! E hoje o meu coração enche-se de ver o meu pequeno amor correr pelos mesmos sítios que me fizeram sentir tão livre, tão criança!

Ainda refletindo...
Quase 7 anos de Batalha, 3 anos e uns meses de Vasco e ainda continuo a ficar confusa com perguntas e comentários de alguns familiares e conhecidos. Sim, não temos um quintal para o Vasco brincar (e me matar a arrumar!!!), mas isso não nos limita a 4 paredes encaixotadas como muitas mentes confusas acham! Confesso que sou eu quem mais se confunde e ao mesmo tempo se ri por dentro devido a  tal pressuposto por parte de terceiros. Em resposta a estas mentes pequeninas o meu "quintal" é esta vila! O meu filho seria feliz a andar de bicicleta num jardim ladeado de arbustos, muros e portões? Talvez! Seriamos felizes com uma piscina, mesmo que insuflável? Talvez! Seriamos felizes a cuidar do cão, do gato e quiçá de outros animaizinhos? Provavelmente! Mas presentemente gosto desta felicidade de o ver correr pela relva, jogar às escondidas sem fronteiras! Apanhar folhas gigantes e fingir que são chapéus! De guardar restinhos de pão e bolachas para irmos dar aos patos do Lena! De sentar numa esplanada com o meu amor e ficarmos a olhar o nosso amor pequenino a "assapar" no seu triciclo! Gosto de vê-lo correr na praça do cavalo, de tentar subir as árvores. Gosto de rir a ouvi-lo descobrir o eco que o Mosteiro lhe esconde. Gosto de me rir com as sombras gigantes que fazemos à noite em frente aos holofotes... Gosto das tardes  mornas no parque infantil e das tardes frias no café onde o Vasco gosta de sentar e pintar desenhos... Gosto de sair da escola e brincar ali na relva enquanto vemos os meninos grandes a treinar futebol. Gosto das nossas caminhadas, dos nossos passeios, de tudo aqui tão pertinho, de tudo...

Enfim... sou muito feliz! Aqui!